Asma na população Negra

Atualizado: 24 de Nov de 2019




Um estudo (http://www.scielo.br/pdf/rsp/v46n5/09.pdf) foi feito em São Paulo, SP, de 2008 a 2009, com 1.185 crianças e adolescentes de ambos os sexos a fim de estimar a prevalência de Asma e identificar fatores associados à enfermidade. As informações foram coletadas por meio de entrevistas domiciliares.


Foi constatada na análise a asma associada à presença de rinite e alergia, nas idades entre cinco e nove anos, cor da pele preta e parda e moradia com menor número de cômodos. Os frequentes problemas de saúde dessa corte são considerados consequência da Asma não tratada e de ambientes insalubres.


Levando-se em conta que negrxs compõem 78% da população mais pobre (no Brasil), fica evidente que o difícil acesso a saúde e residências precárias são os principais fatores que aumentam o risco de morte de pacientes negrxs com asma (fonte: https://fpabramo.org.br/2018/11/30/negros-sao-78-entre-os-mais-pobres-e-somente-25-entre-os-mais-ricos/).


Nos Estados Unidos, crianças Afro-Descendentes apresentam maior incidência de Asma, cerca de 13.4% contra 7.4% de crianças caucasianas. Lá adultos negros sofrem mais crises fatais do que em comparação a outras etnias, especialmente as mulheres. Pretas, Pretes e Pretos também tem 3x mais chances de serem internades por crises de Asma (fonte: https://www.aafa.org/asthma-facts/).


Felizmente, visitas periódicas a Pneumologistas e o comprometimento com o tratamento levam a uma vida com a Asma controlada.


Esportistas de altíssima performance como Marta Vieira da Silva (Jogadora da Seleção Brasileira Feminina de Futebol, eleita 6 vezes a melhor do mundo), Jacqueline Joyner-Kersee (tri-medalhista Olímpica de ouro), Jerome Bettis (Half Back, NFL), Emmitt James Smith III (Running Back, NFL), Dennis Rodman (NBA Hall of Fame) e Jacques Dominique Wilkins (NBA), entre outrxs, comprovam que é possível conviver com a Asma... e ir além.


E você; conhece muitas crianças com Asma? Segue o tratamento e pratica algum esporte? Acha que faltou atleta na lista?


Cadastre-se, comente sua experiência, compartilhe o link e siga-nos caso se identifique com a proposta do Afilaxy. Dessa forma você apóia o desenvolvimento da iniciativa e o combate às Fake News da enfermidade.

0 visualização
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now